Publicidade

BOCA LIVRE – 08/06/2018

BOCA LIVRE – 08/06/2018

Acidente x imprudência

Acidente é algo que acontece inesperadamente e alheio á sua vontade ou conhecimento, por exemplo, um avião cai sobre sua cabeça enquanto você está caminhando calmamente pela rua. Quando você ultrapassa os limites de velocidade, por exemplo na BR-280 no trecho de serra entre Corupá e São Bento do Sul, colocando em risco a sua vida e a de inocentes, a isto damos o nome de imprudência. As demais pessoas atingidas pela sua imprudência é que sofrem um acidente.

Acidente x imprudência – Parte II

Ninguém está duvidando da sua capacidade em dirigir ou pilotar, afinal todos entendemos que você não participa das corridas de Fórmula 1 ou Fórmula Indy por opção própria uma vez que você se considera acima dos que lá estão. Mas a imprudência é você colocar a vida dos outros, passageiros, ou não, de sua loucura, ao insistir em ignorar que pode ter ocorrido derramamento de areia ou vazamento de óleo na pista, minutos antes de você chegar naquele local.

Outro bingo, ou outra c…..

Por falar em imprudência, dizem por aí que o Rei M…., gosta tanto de bingo que está programando mais um, e desta vez parece que será sozinho para mostrar a sua popularidade, seu poder e sua capacidade em fazer m…. É só aguardar.

Quanto pior, melhor

Tem um pessoal que se supera quando o assunto é fazer terrorismo. As redes sociais são o caminho mais fácil para espalhar boatos falsos, as chamadas “Fake News”. Os boateiros de plantão se aproveitam das pessoas inocentes e dos(as) fofoqueiros(as) para espalharem seu veneno e provocar o caos. O último caso foi a “paralização dos caminhoneiros” marcada para acontecer a partir da madrugada da última segunda-feira(04). Teve até vídeo rodando pelo whats, mostrando “ao vivo” o que acontecia. Parecido com aquele sobre a invasão de Brasília pelos caminhoneiros, que na verdade aconteceu na mobilização verificada na época da Dilma.

Quanto pior, melhor – Parte II

Sobreviver às Fake News não é difícil, se você observar algumas regrinhas básicas. 1 – Tenha certeza de conhecer a fonte da informação (na pior das hipóteses você terá oportunidade de chama-la de idiota); 2 – Verifique se existe mais alguma fonte confiável divulgando a informação; 3 – Você presenciou o fato? ou ouviu dizer que ….  Se você respondeu “não” a alguma destas regrinhas, não passe à frente a “notícia que recebeu em primeira mão”, ou vai pagar mico e deixar de ser confiável para a rede a que pertence.

“Postinho” da João Tozini, novela sem fim

Parece não ter fim a novela do PSF da João Tozini. Prometido na época da campanha eleitoral, já teve o capítulo dos setecentos e vinte e um mil reais, o capítulo da troca de acusações entre executivo e legislativo, o capítulo da nova busca de recursos financeiros para a obra, o da tramitação do pedido de autorização para a compra do terreno, e o último capítulo exibido foi o verificado na última sessão da Câmara, com a confirmação feita pela Sra. Marilene Wolf de que nada foi assinado entre a prefeitura e os proprietários do terreno. Não perca os próximos capítulos.

Economia

Causou estranheza a alardeada economia promovida pela prefeitura de Corupá ao cortar cargos em comissão e funções gratificadas. O motivo é simples de ser entendido quando sabemos que a folha mensal de salários tem valor aproximado de um milhão e meio de reais mensais, e a economia anunciada com os cortes, gira em torno de cinquenta mil reais, também mensal. E teve gente que bateu palmas pela iniciativa.

A Lei 8.666/93 e suas pegadinhas

A lei das licitações, como é carinhosamente chamada a Lei 8.666/93, tem provocado algumas confusões em sua interpretação. Uma pessoa distraída, ou sem o conhecimento devido, pode sentir alguma dificuldade no entendimento dos artigos 24 e 25 da referida Lei. Enquanto o Artigo 24 trata da dispensa da licitação, o Artigo 25 estabelece regras para a sua inexigibilidade. Como se diz por aí, “uma coisa é uma coisa; outra coisa é outra coisa”. E tome errata.

Hey, cadê você ?

Um personagem anda sumido de Corupá, e recebeu o apelido de “cometa” por aparecer apenas de vez em quando. Esse pessoal maldoso questiona se ele não vê erros “nos seus”, ou se está com vergonha das infindáveis lambanças que fazem. Ele é comparado com aquela mãe que foi assistir o desfile do filho e comentava em alto e bom som que o seu filho era o único que marchava com o pé certo.

Parabéns Bombeiros Voluntários de Corupá

Não foi uma e nem duas pessoas que comentaram o atendimento prestado pelos Bombeiros em recente acidente fatal ocorrido na serra entre Corupá e São Bento. Apesar da fatalidade que ceifou a vida de uma jovem no momento do impacto, o sincronismo e a correção nas ações das guarnições que atenderam a ocorrência saltou aos olhos. Parabéns Soldados, vocês são Guerreiros.

Casa da Mãe Joana

Foi o que pareceu ter se transformado a Câmara na última segunda-feira(04). A sessão corria calma e tranquila até o momento em que o vereador Alaor Duarte(PSDB) assumiu a Tribuna para rebater uma munícipe que o havia precedido no uso da palavra, para se desculpar de mal-entendido. A partir deste momento o que se viu foi uma mistura de ignorância, destempero, despreparo e desmando.

Casa da Mãe Joana – Vergonha

No momento em que se iniciou o bate-boca, o Sr. Adilson Oliveira, que estava na plateia, pediu o uso da palavra por haver sido citado em duas ocasiões e pasmem, (assim como o fizeram diversas pessoas presentes), o presidente do legislativo ficou sem ação, permitindo que o cidadão se pronunciasse. Que tal se o presidente da casa fizesse a leitura integral do Regimento Interno, principalmente os artigos 10, 53, 54, 56, 239 com seus incisos e parágrafos. É recomendável também que não seja omitida a leitura dos artigos 50 e 65. Considerando que o Regimento Interno foi elaborado para ser seguido, será interessante se o presidente não se restrinja apenas à sua leitura e faça com que o mesmo seja cumprido.

Casa do Povo ou da Mãe Joana ?

Esta sessão serviu, também, para deixar uma pergunta no ar: a Câmara é a “casa do povo” ? Como pode ser a “casa do povo”, se quando os munícipes se manifestam, em conformidade com o Regimento Interno, são agredidos por haverem contrariado algum vereador? Em se mantendo a condição atual, não estranhem se as sessões caminharem rapidamente para serem assistidas apenas pelos vereadores e servidores da casa.

Para bom entendedor……

Não passou desapercebido a quem assistiu a sessão quase de UFC, o fato de que diversos vereadores que usaram a tribuna, e manifestaram o entendimento do pronunciamento da Sra. Marilene Wolf, e o aceite de desculpas, foram criticados pelo vereador Alaor, sendo chamados de demagogos. Lastimável, teria sido melhor não ter usado a tribuna.

Chega de xororô……

Este foi o recado do vereador Felipe Rodrigues(PSDB) para o executivo, e o motivo é simples quando se sabe que repetidamente o prefeito tem recorrido a jornal da região para reclamar que sua administração está sendo prejudicada pelo legislativo. Para quem teve apenas um projeto recusado, o xororô chega a ser patético.

0 0 153 07 junho, 2018 Notícias Urgentes, Política, Slide junho 7, 2018

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.