Publicidade

IDEB DE ANOS INICIAIS EM CORUPÁ MANTÉM META ACIMA DA PROJEÇÃO DO MEC

IDEB DE ANOS INICIAIS EM CORUPÁ MANTÉM META ACIMA DA PROJEÇÃO DO MEC

Muitas são as possibilidades de leitura dos indicadores alcançados

Conforme já informamos em nossa edição anterior, Índice de Desenvolvimento da Educação Básica – Ideb é um indicador de qualidade educacional que combina informações de desempenho em exames padronizados (Prova Brasil ou Saeb) – obtido pelos estudantes ao final das etapas de ensino (4ª e 8ª séries do ensino fundamental e 3ª série do ensino médio) – com informações sobre rendimento escolar (aprovação).

O Ideb é o principal indicador de qualidade da educação básica, formado pelo Saeb (prova de português e matemática aplicada a cada dois anos) e pelo fluxo escolar (taxa de aprovação/reprovação/abandono dos alunos).

Secretária de educação faz análise    

No dia 3 de setembro, o MEC (Ministério da Educação) divulgou o resultado do Ideb para Corupá com 6,3 nos anos iniciais e 5,5 nos anos finais.

A partir da divulgação destes números diversas análises começaram a ser feitas, algumas positivando o indicador e outras o negativando. Com isso fomos ouvir a secretária de educação Rosane Berti, para entender o significado dos números para a sua secretaria.

Em sua análise inicial Rosane considera que apesar de Corupá apresentar redução no índice do ensino fundamental de 2015(6,6) para 2017(6,3), está acima da média nacional estabelecida pelo MEC(6,1).

Nos anos finais, o índice foi 5,5 e a média projetada pelo Mec é 5,8.  A melhor média de anos iniciais em Corupá foi da escola José Pasqualini, com 7.1 e nos anos finais foi da escola Aluísio Carvalho de Oliveira, com 6,2.

O quadro abaixo mostra claramente que a situação da educação em Corupá supera todos os números e merece análise positiva, apesar da redução nesta última avaliação, em relação ao índice anterior.

 

Local 5º ano 9º ano 3º ano ensino médio Geral de todos os níveis
Corupá 6,3 (6,1) / (6,6) 5,5 (5,8) / (6,2) 3,6 (-,-) (4,0) 5,1
Santa Catarina

 

6,3 (5,9) / (6,4) 5,0 (5,6) / (6,0) Sem resultados 5,6 (sem ensino médio)
Brasil 5,8 (5,5) / (6,0) 4,7 (5,0) / (5,5) 3,8 (4,7) / (5,2) 4,8

Obs: o primeiro indicador é o alcançado em 2017, o segundo é a meta estabelecida para 2017 e o terceiro, é a meta para 2021

Sistema Positivo e sua avaliação

Para melhorar a qualidade da educação, os níveis de aprendizagem e os índices de avaliação, a Prefeitura de Corupá, firmou contrato com a Editora Positivo, em novembro de 2017, para o fornecimento de livros didáticos integrados, plataforma virtual de aprendizagem com conteúdos educacionais para estudantes e cursos de metodologia para os professores e coordenadores da rede municipal de ensino.

O Sistema de Ensino Aprende Brasil, da Positivo, foi implantado em fevereiro de 2018, inicialmente, para turmas de Pré I e Pré II, e de 1º ao 3º ano. Em 2019 está previsto para turma do 4º ano e em 2020 para turma do 5º ano. Com este cronograma que prevê a implantação gradativa nas turmas, os resultados do Ideb, refletindo o sistema Positivo, virão somente nos anos seguintes, ou seja, a partir de 2021, nos anos iniciais e em 2025 nos anos finais.

Corupá quer mais

Rosane acredita que a tendência é que haja um grande crescimento no nível educacional de Corupá e para que isso aconteça algumas metas foram estabelecidas. Dentre estas metas destaca-se a revitalização das bibliotecas que atualmente são adaptadas e   com acervo reduzido. Para solução deste problema, serão adquiridos contêineres para uso exclusivo de biblioteca e ampliação do acervo atual tornando-o diversificado e atraente.

Outra meta a ser destacada é quanto aos laboratórios de informática. Atualmente apenas uma unidade escolar conta com laboratório de informática, mas já com equipamentos obsoletos, sendo necessário, investimento em novos equipamentos e para todas as escolas.

Análise final

Apesar do resultado deste último Ideb colocar Corupá em destaque, a secretária de educação deixa claro que sua equipe está atenta às variações e acredita que “a própria rotatividade de alunos e a ausência de alguns no dia da prova pode ter influenciado a queda do índice desta avaliação, mas estamos com um bom número de professores efetivos neste ano e trabalhando de perto com eles para superar dificuldades e sempre buscar a melhoria do ensino”, afirma Rosane.

(Texto extraído a partir da redação original escrita por Darci Rutsatz.)