Publicidade

Afinal, qual o melhor jeito de tirar a maquiagem se você tem pele oleosa?

Afinal, qual o melhor jeito de tirar a maquiagem se você tem pele oleosa?

Especialistas ensinam o passo a passo ideal para não sofrer as consequências do acúmulo de make + oleosidade natural da pele.

Quem tem pele oleosa e, muitas vezes também acneica, sabe das dificuldades demantê-la sob controle ao longo do dia. O drama costuma ser ainda maior se você, por necessidade ou gosto pessoal, usa maquiagem com frequência. Sim, é bem verdade que, graças aos avanços no universo da beauté ao longo dos anos, hoje já não é difícil encontrar um arsenal específico para cuidar de cada tipo de pele, bem como os mais diferentes makes para quem sofre com óleo natural em excesso.

Mas, mais importante do que usar uma maquiagem que corresponda às necessidades da sua pele, é saber removê-la direitinho todos os dias, antes de dormir. Qual seria, então, a melhor maneira de demaquilar peles oleosas? As dermatologistas ThaisPepe, da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e Vanessa França, da Clínica Vanitá mostram a seguir.

Antes de mais nada, por que remover o make importa?

Seja qual for a característica mais marcante da sua pele, saiba que o ato de tirar amaquiagem é essencial a todas elas, e deve ser incorporado à rotina de cuidados diários. Primeiro porque, como explica Thais, é durante a noite que nossa pele passa pelo processo natural de renovação celular, deixando-a mais saudável. Logo, se você dorme maquiada, esse processo não funciona como deveria e, de quebra, podem surgir outros problemas, como poros entupidos – que resultam em cravos e espinhas -, e desidratação do tecido, tornando a pele mais opaca e facilitando o surgimento de rugas.

Para Vanessa, além da retirada da maquiagem, nossa pele pede também por uma limpeza de outros resíduos prejudiciais, como suor, poeira e poluição. Demaquilar, portanto, evita que acne e lesões mais graves, decorrentes dessa sujeira “invisível”, apareçam de surpresa, além de proteger contra possíveis alergias e irritações.

Quer mais um motivo para fazer uma forcinha extra e correr para a pia quando chegar da balada? Pois bem. Na região dos olhos, não remover a maquiagem pode até favorecer a queda dos cílios, muito por conta de pigmentos que ficam acumulados nas pestanas, enfraquecendo os fiozinhos até que eles caiam – atenção especial às máscaras de cílios com efeito de volume, bem como àquelas com ação à prova d’água, que precisam ser removidas com um pouco mais de cuidado.

Primeiro passo: demaquilante

Comece o processo limpando o rosto com o uso de um demaquilante específico para pele oleosa. Prefira os líquidos e evite os bifásicos, que são bons para remover makes à prova d’água, mas por contarem com a presença de óleo em sua composição não são indicados para as peles naturalmente viçosas. O mesmo vale para demaquilantes com textura leitosa, ideais para as peles ressecadas. No mais, vale repetir: passe longe de qualquer produto removedor de maquiagem que contenha óleo em sua composição!

Com a ajuda de um algodão macio, faça movimentos circulares e remova o “grosso” do make. Seja gentil com a sua pele, e lembre-se de não usar força ou esfregá-la, o que pode deixá-la ressecada ou inchada. Mais uma vez, dê atenção especial à região dos olhos, que é extremamente delicada e muitas vezes exige o uso combinado de um outro demaquilante, feito especialmente só para essa área do rosto. Para remover máscara de cílios e delineador com maior precisão, aplique o algodão do meio para fora do rosto, tomando o nariz como referência.

Segundo passo: limpeza

Depois de aplicar o demaquilante, a segunda etapa, e possivelmente a mais importante de todas, é limpar a pele com água e um sabonete próprio para oleosidade: “O uso de produtos adequados para pele oleosa é fundamental neste processo. Além da função de limpeza em si, esses produtos têm componentes que ajudam na renovação celular, redução da produção de oleosidade e agentes redutores do brilho que tanto incomoda”, aponta Vanessa. Por isso, já sabe, nada de usar o mesmo sabonete que você costuma tomar banho, viu? Cada um com a sua propriedade.

Quanto à temperatura da água, ela deve ser ambiente ou fria, nunca quente. É que as altas temperaturas em contato direto com a pele acabam causando uma vasodilatação das glândulas, muitas vezes resultando no “efeito rebote”, ou seja, estímulo à produção de mais gordura e oleosidade naturais. Portanto, se quiser aproveitar a hora do banho para lavar o rosto com produtos específicos, você até pode tornar tudo mais prático, mas os quentes estão vetados.

Terceiro passo: tônico + hidratante

Nas peles oleosas, a remoção de resíduos mais resistentes e a limpeza profunda dos poros só são atingidas com o uso de um tônico que tenha ação adstringente, terceira e última etapa do processo. Novamente recorra a um algodão macio e aplique o produto de maneira suave.

Esfoliações periódicas, sempre com recomendação de um dermatologista, tambémpodem auxiliar na melhora da pele. Finalize o ritual com um hidratante (de novo, para pele oleosa) e pronto! Já pode ir dormir tranquila e acordar plena de cara limpa no dia seguinte.

Fonte: Editora Abril – Ketlyn Araujo