Publicidade

NOVA SECRETÁRIA APROVEITOU O RECESSO MUNICIPAL E ESTUDOU ALGUMAS ALTERAÇÕES EM SUA PASTA

NOVA SECRETÁRIA APROVEITOU O RECESSO MUNICIPAL E ESTUDOU ALGUMAS ALTERAÇÕES EM SUA PASTA

Nesta semana o Jornal de Corupá dá início a uma série de reportagens sobre as ações das diversas secretarias municipais; começamos pela Secretaria de Saúde e na próxima semana traremos a Secretaria de Assistência Social, Trabalho e Habitação.

A nova secretária de saúde de Corupá, Bernadete Correa Hillbrecht (foto) recebeu a nossa reportagem e falou sobre qual deve ser o comportamento de sua pasta, indo de encontro ao anseio da população. Atualmente contando com quatro “postinhos”, que atendem o programa ESF-Estratégia Saúde da Família, Bernadete esclarece que o ponto principal da secretaria é observar a Política Nacional de Atenção Básica como prioridade da Rede de Atenção à Saúde, orientada pelos princípios da universalidade, acessibilidade, vínculo, continuidade do cuidado, integralidade da atenção, responsabilização, humanização, equidade e participação social.

            Inicialmente Bernadete esclarece que a população referenciada nos postinhos é formada por hipertensos, diabéticos, acamados e deficientes, que são o foco principal da atenção básica, mas um dos seus focos neste momento é estender o atendimento para as pessoas que não pertencem a este grupo de pacientes, mas que tem um problema de saúde e que não pode aguardar um agendamento, que tirou toda a possibilidade de consulta imediata. Uma das alternativas em estudo é deixar o agendamento em um turno e o atendimento livre em outro.

Com o fim de recesso, onde apenas o postinho da rua Nereu Ramos, o ESF 3, funcionou em forma de plantão, todos os demais postos voltaram à sua atividade normal na última quarta-feira(06) e inclusive as duas vagas de Corupá para os profissionais que atenderam ao programa Mais Médicos, uma das vagas já está preenchida e a outra aguardando o atendimento do chamado dos médicos inscritos.

Especialidades

  A Atenção Básica prevê o atendimento por médico clinico geral, e Corupá além deste profissional, dispõe de uma médica pediatra, e chamada de ACT para outro pediatra e ginecologista, estando previsto o encaminhamento para a Câmara de Vereadores de alteração na lei, aumentando de dez para vinte horas o tempo de atendimento destes profissionais, e resolvendo a grande dificuldade em mantê-los em nossa cidade.

As filas de espera nas especialidades

Atualmente Corupá está com uma fila para 5.153 consultas para médicos das seguintes especialidades: angiologia, cardiologia, cirurgia geral, dermatologia, gastroenterologia, hematologia, mastologia, nefrologia, neurologia, oftalmologia, ortopedia, otorrino, pneumologia, proctologia, reumatologia e urologia; as especialidades com maior fila são ortopedia(1.219), gastroenterologia(640) e oftalmologia(563). Além destes encaminhamentos/consultas, existem 132 ressonâncias diversas, 9 atendimentos ortopédicos de média complexidade, 37 tomografias, 25 endoscopias, 9 colonoscopias e 14 biópsias, além de 116 cirurgias onde 74 são cirurgia vasculares e 21 são ginecológicas.

ESF João Tozini

            A secretária não esconde que outro ponto que vem merecendo atenção especial é a construção do ESF da João Tozini, numa obra com custo previsto de R$836mil, e que ainda deve ser acrescida do valor dos equipamentos e que tem previsão de inauguração até o início do ano que vem. Com a inauguração deste posto, deve ser desativado o ESF 2, (Lions Clube) com as famílias atendidas sendo redirecionadas para os demais postos, inclusive o novo que passará a facilitar o atendimento dos moradores da João Tozini, Carroeira, Pedra de Amolar, Poço Danta, etc.

Indústria de atestados

            Uma das novidades que Bernadete pretende implantar é quanto aos exames não retirados pelos pacientes nos laboratórios, que passarão a ser encaminhados para a secretaria, analisados pelos médicos e incluído nos prontuários, servindo de alerta em novo atendimento nos ESF.

            Sobre a sua equipe de trabalho, a secretária esclarece que ela foi montada pelo Dr. Irineu Pasold devendo ser mantida e que apenas em casos extremos de necessidade serão alteradas.

            Ela chama a atenção para outro ponto, que em princípio está resolvido, e envolve a unidade de Pronto Atendimento que chegou a ter um pico de nove mil atendimentos no mês em que ocorreu a troca de gestão, mas que já voltou ao normal. Segundo ela “tem-se falado muito que o P.A. tem atendido moradores que não são de Corupá e é verdade, mas o número destes pacientes não excede a quatrocentas pessoas/mês, e por fazer parte do sistema/SUS, a unidade não pode se negar a atender pacientes com quadro de urgência ou emergência, independentemente de seu município de origem.”.

08/02/2019