Publicidade

Publicidade

Corupaenses fazem uma boa estreia no Catarinense Rally Regularidade

Corupaenses fazem uma boa estreia no Catarinense Rally Regularidade

A cidade de São Bento do Sul recepcionou cerca de 150 pessoas vindas de diversas regiões de Santa Catarina, Rio Grande do Sul, Paraná e, até mesmo, de São Paulo. Sucesso entre os participantes, a etapa já deixou o “gosto de quero mais”

O Catarinense Rally Regularidade deu a largada para mais um ano de competições. Com cinco etapas previstas, a primeira prova foi realizada neste último sábado (16), em São Bento do Sul (SC). Organizado pela Trecho 1 – em parceria com a Federação Catarinense de Motociclismo e a Federação de Automobilismo do Estado de Santa Catarina, o evento teve o apoio fundamental do Jeep Clube São Bento do Sul.

O grid contou com 66 veículos, divididos nas categorias Máster, Graduados, Turismo, Turismo Light, Pais e Filhos e Universitários, e ainda, registrou a estreia das categorias UTVs e Quadriciclos. Entre os participantes, esteve o piloto Anderson Clei Vargas, que ao lado da esposa e navegadora Márcia Iris Vargas, conquistou o terceiro lugar na categoria UTV com 468.606 pontos perdidos. 

O piloto Anderson Clei Vargas, que ao lado da esposa e navegadora Márcia Iris Vargas, conquistou o terceiro lugar na categoria UTV 

Pela categoria Máster, quem também representou a cidade de Corupá, foi o piloto Acyr Hideki Rodrigues da Silva, que competiu ao lado do navegador Cristian Mueller (de São Bento do Sul/SC) e, juntos, conquistaram o quinto lugar no pódio com 3.570 pontos perdidos.

O roteiro teve 90 quilômetros – com 40 quilômetros de trecho cronometrado –, e começou pelo reflorestamento de pinus da Fazenda Katzer. Devido a chuva, o terreno estava bem liso e com muita lama, e os pilotos suaram para acelerar e manter o veículo na trilha. Os carros derrapavam e espalhavam barro para todos os lados. Já os navegadores, não puderam tirar os olhos do hodômetro, uma vez que situações como essa, pede que o equipamento seja ajustado a todo momento (sem muita aderência com o solo, o pneu gira em falso e o hodômetro precisa ser reposicionado na metragem correta, do contrário, a dupla não consegue encontrar o caminho certo a seguir). Ainda, no entorno da famosa casa de madeira abandonada (símbolo das etapas de rali em São Bento do Sul), os off-roaders tiveram um teste de habilidade e concentração, com balaios e pegadinhas. 

E pensa que terminou ali? Não! A planilha direcionou as duplas para o circuito de autocross do Expoama e, depois para o Autódromo Municipal Lourenço Schreiner. Nestes locais, os competidores encararam muitos laços, com inúmeras mudanças de direção em referências bem próximas. Com médias de velocidade justas, pilotos e navegadores tiveram de ser rápidos e habilidosos. 

Detalhe que, no Autódromo Municipal Lourenço Schreiner, apesar da proximidade com os demais locais, apresentou chão seco e levantou até poeira com a passagem dos veículos. E este foi um outro desafio, pois o pessoal estava vindo de uma área de solo molhado e tiveram de, rapidamente, fazer uma nova leitura e adotar o estilo de pilotagem mais adequada.

O Catarinense Rally Regularidade ainda traz uma proposta bem diferente. “No final da temporada teremos o sorteio de um jogo de pneus da Cooper Tires, entre todos os competidores que pontuarem em nossas etapas. Essa é uma forma de incentivarmos os participantes a estarem sempre conosco e, ainda, trabalhar a imagem e produto dos patrocinadores para que eles tenham ainda mais alcance e sucesso por meio de nossos eventos”, explicou Rech. 

O Campeonato Catarinense de Rally Regularidade tem patrocínio de GS 4×4 Performance, Trilha SC Concessionária Troller, Can-Am, Montreal Powersports, Mega Jet & Boats, Sanáutica, Cooper Tires, DSTRAC Performance 4×4, Gratt Indústrias de Máquinas, A2M Motorsport-Vtrek, Tecnnic Eletrônica Industrial, Imóveis Crédito Real e Multital Factoring.

Apoio: Jeep Clube São Bento e Jeep Clube Florianópolis

Supervisão: FAUESC e FCM

Foto do UTV: Anderson Clei Vargas e Márcia Iris Vargas

Troller: Acyr Hideki Rodrigues da Silva e Cristian Mueller

Texto por Isis Moretti – Liberdade de Ideias