Publicidade

Publicidade

Projeto de combate ao maruim entra na fase final da pesquisa

Projeto de combate ao maruim entra na fase final da pesquisa

A pesquisa para criação do defensivo para o combate ao maruim entra na fase final de testes, assim, a expectativa é que no próximo ano o produto já esteja disponível nas prefeituras participantes do programa (que são Barra Velha, Corupá, Jaraguá do Sul, Guaramirim, Schroeder, São João do Itaperiú e Massaranduba) junto ao Consórcio Intermunicipal de Gestão Pública do Vale do Itapocu (Cigamvali) e Associação dos Municípios do Vale do Itapocu (Amvali).  O programa “Maruim” prevê que as populações dos municípios da região sejam beneficiadas com a distribuição gratuita do defensivo, pelos órgãos ambientais de cada ente público.

Testes com o defensivo para o combate ao maruim 

A pesquisa teve início em 2007 e ocorreu por meio de investimentos financeiros realizados pela Amvali. Com o avanço da pesquisa criou-se uma fórmula de um defensivo que mostra eficácia entre 75% e 90% na eliminação do mosquito, combatendo-o na fase de larvas e com a possibilidade de deixar a área tratada livre do mosquito. Para o próximo e último passo da fase de pesquisa são necessários testes na aplicação em campo e posterior liberação da patente para produção.

Segundo a secretária-executiva da Amvali Juliana Demarchi, as prefeituras aprovaram para o ano de 2019 de forma consorciada o orçamento de R$ 423.430,00 valor este que será para a montagem do laboratório e aquisição de materiais para os primeiros experimentos.

Quanto a origem dos valores esses são oriundos das câmaras municipais, que por meio de seus vereadores garantiram a devolução dos orçamentos dos Legislativos para garantir desta forma que os recursos fossem investidos. “Já temos em caixa aproximadamente 50% dos valores acordados, sendo que esses foram repassados pelos municípios de Jaraguá do Sul, Schroeder e Corupá, quanto ao repasses dos demais municípios, esses já sinalizaram o depósito para as próximas semanas do valor devido. Os repasses são realizados mensalmente e são calculados com base nos índices populacionais de cada município da região”, comenta Juliana.

Quanto a produção e comercialização do defensivo, está estimado para o primeiro trimestre de 2020 a abertura de edital com objetivo de buscar interessados na produção e comercialização em escala industrial do produto desenvolvido pelo laboratório.

Áurea J. Arendartchuk / Assessoria de Imprensa – Prefeitura de Corupá