Publicidade

Publicidade

Câmara repassa a Prefeitura mais 50 mil reais. Ao total já foram 180 mil reais este ano

Câmara repassa a Prefeitura mais 50 mil reais. Ao total já foram 180 mil reais este ano

Na última sessão da Câmara de Vereadores, segunda-feira (07), o presidente da casa Lairton H. Muller (MDB), anuncio o repasse para a Prefeitura no valor de 50 mil reais, que segundo, será utilizado na área de saúde, de forma sugestiva.

“Este ano já repassamos – devolvemos – o montante de 180 mil reais para o executivo e sugerimos que seja utilizado na saúde de forma para a compra de medicamentos, exames, enfim que seja utilizado nessa ideia”, explicou Muller.

Desde o início do ano – como nos anos anteriores – a Câmara de Vereadores vem repassando mensalmente 10 mil para o Bombeiros Voluntário do município. E ainda mais 30 mil reais para o projeto maruim, 10 mil reais para a Proplante, na execução da feira Fecaplant e 10 mil reais para Associação Comercial para o auxílio na campanha de Natal.

“Já temos provisionado mais 30 mil reais que serão divididos nos próximos meses para os Bombeiros”, diz Muller. Ao total serão 210 mil reais repassado a Prefeitura, que segundo a lei, a Câmara de Vereadores não pode repassar diretamente para as instituições, somente a Prefeitura em forma de convênio, por isso a burocracia.

Segundo Muller, a economia gerada foi em função de cortes de funcionários e outras despesas da casa a qual era e é compromisso da mesa diretora, assumido em janeiro deste ano. “Lançamos um desafio para essa nova gestão a qual estamos cumprindo. O repasse até foi maior do que o projetado lá no início do ano, mas também atrasamos o projeto de reforma da casa, a qual precisamos cumprir uma exigência que é a acessibilidade do prédio que pretendemos iniciar no próximo ano”, comenta.

Muller também ressaltou que a destinação de mais recursos para a Prefeitura foi a motivo da carência que vem acontecendo na saúde. “Estamos presenciando quase que diariamente a falta de medicamentos, consultas e exames, em especial no município, e não poderíamos deixar para segundo plano a qual decidimos fazer esses repasses, mas é claro, a Câmara não pode exigir que seja gasto mais especificamente na saúde, mas sugerir para o executivo o fazer. Estamos de certa forma devolvendo os recursos para que seja utilizado para a população”. E finaliza, “Palavra dita no microfone será cumprida”.