Publicidade

Publicidade

Nova administradora do Pronto Atendimento de Corupá completa primeira semana

Nova administradora do Pronto Atendimento de Corupá completa primeira semana

Desde que assumiu a administração do Pronto Atendimento de Corupá a partir da zero hora do dia 12 de outubro, a Atual Médica Gestão de Saúde S/S vem participando e promovendo reuniões, e seguindo à risca o que foi prometido e acordado para resolver a situação deixada pelo Instituto Civitas de Desenvolvimento Humano-ICDH.

Tendo como um dos principais objetivos proteger os funcionários, o interventor designado Michael Pereira Marques tem envolvido sindicatos, prefeitura e a direção da Atual, numa negociação transparente que começa a mostrar resultados.

É inegável a existência do não recebimento do salário referente ao mês de setembro deste ano, além de obrigações trabalhistas como INSS, FGTS, 13º Salário e férias, entre outros, mas, apesar disto, houve 100% de adesão a proposta de permanência de funcionários, inclusive médicos, garantindo o funcionamento ininterrupto da Unidade.

Enquanto se costura a atuação jurídica na ação jurídica que contemple receber os recursos anteriores, uma outra frente atua na garantia do recebimento dos primeiros onze dias de outubro que a prefeitura creditou em conta judicial, justamente para impedir que o antigo administrador acessasse o recurso, aumentando ainda mais a perda do pessoal.

Simultaneamente às ações na justiça, existe uma outra necessidade que é encontrar uma alternativa para que os funcionários recebam algum tipo de auxílio que minimize os impactos do não recebimento do salário do mês de setembro. A prefeitura não pode fazer este pagamento, a não ser em atendimento a ordem judicial, os funcionários recusaram a oferta da Atual que propunha um adiantamento salarial, na forma de um vale.

A alternativa encontrada até o momento, e aceita pelos funcionários, consiste no fornecimento de cesta básica para cada um, custeada parcialmente pela Atual, na forma de ajuda social, pela secretaria de assistência social, e por empresários.

Com a nova empresa a sistemática de pagamento pela prefeitura também foi alterada, se com a antiga empresa a prefeitura pagava antecipado, agora será pago após a prestação do serviço.

O prefeito João Carlos Gottardi lamenta o ocorrido, “a lei das licitações precisa ser revista, nos permitindo o uso de instrumentos que impeçam a contratação de empresas que sabemos sem condições de prestar o serviço ou fornecer o produto. Neste caso lamentamos pelos funcionários e mesmo dispondo do recurso financeiro, legalmente não temos como efetuar o pagamento para eles.”, e finalizou, “Hoje eu quero registrar meu agradecimento aos funcionários que entenderam a situação e, numa demonstração excepcional de profissionalismo e de comprometimento, não interromperam o atendimento à população”.

Aos poucos a rotina do Pronto Atendimento volta ao normal, e prestes a completar a sua primeira semana sob nova administração, se de um lado respira aliviado por não haver interrompido em nenhum momento o atendimento à população, o corpo de funcionários reconhece que ainda há um longo caminho pela frente e será indispensável o apoio da população e do poder público.

Fonte Prefeitura de Corupá