Publicidade

Publicidade

Coronavirus: Higienização e descartes das máscaras caseiras, saiba como proceder!

Coronavirus: Higienização e descartes das máscaras caseiras, saiba como proceder!

Após muitas cidades decretarem o uso obrigatório das máscaras de tecido por toda a população, como exemplo Jaraguá do Sul e Corupá, na última sexta-feira (17), o governador Carlos Moisés determinou o uso de máscaras em estabelecimentos públicos e privados de Santa Catarina. A decisão consta em uma portaria publicada no Diário Oficial do Estado. O mesmo documento estabelece que, ao adentrarem tais espaços, todos os cidadãos também devem higienizar suas mãos com álcool em gel 70%.

De acordo com o governador, os estabelecimentos não poderão aceitar clientes sem máscaras. Carlos Moisés aconselhou ainda que todos os catarinenses já saiam de suas casas usando os equipamentos. “Estamos fazendo um chamamento para as pessoas sobre a consciência do uso da máscara. Todos estão percebendo a importância de se proteger e proteger as outras pessoas”, diz o governador.

Carlos Moisés também citou um artigo científico publicado nos Estados Unidos sobre a eficiência do uso das máscaras. Segundo ele, o estudo aponta que, num período de 30 dias, um total de 100 pessoas que não usam máscaras podem infectar até 30 mil outros. Nesse mesmo cenário, mas com o uso de máscaras, o número de infectados cai para 600.

Mas afinal depois de usá-las as tais máscaras de tecidos devemos higieniza-las sim. E você sabe como fazer?

Dicas de higiene e uso das máscaras

Segundo orientação do Ministério da Saúde o uso da máscara caseira é individual, não devendo ser compartilhada entre familiares e amigos. A máscara deve ser usada por cerca de duas horas. Depois desse tempo, é preciso trocar. Então, o ideal é que cada pessoa tenha pelo menos duas máscaras de pano.

Use a máscara sempre que precisar sair de casa. Coloque a máscara com cuidado para cobrir a boca e nariz e amarre com segurança acima das orelhas e abaixo da nuca, para minimizar os espaços entre o rosto e a máscara.

Enquanto estiver utilizando a máscara, evite tocá-la, não fique ajustando a máscara na rua. Saia sempre com pelo menos uma reserva e leve uma sacola para guardar a máscara suja, quando precisar trocar. Troque a máscara a cada duas horas ou sempre que apresentar sujeira ou umidade.

Em casa, remova a máscara pegando pelo laço ou nó da parte traseira, evitando de tocar na parte da frente. Lave as máscaras usadas em diluição de água e água sanitária. A proporção de diluição a ser utilizada é de 1 parte de água sanitária para 50 partes de água. Por exemplo: 10 ml de água sanitária para 500ml de água potável. Deixe de molho por cerca de 30 minutos e depois lave com água e sabão.

Não coloque no lixo reciclado

Uma preocupação que surge com o uso das máscaras e mesmo as luvas descartáveis é quanto ao descarte correto desses materiais. Conforme a engenheira sanitarista e gerente de Resíduos Sólidos do Samae de Jaraguá do Sul, Morgana Decker, é preciso tomar alguns cuidados depois do uso desses itens de proteção.

A primeira recomendação é que as pessoas prefiram o uso das máscaras de tecido, pois são reutilizáveis, desde que devidamente higienizadas. “Assim, geram menos lixo e, consequentemente, ocasionam menor impacto ambiental e econômico, já que elas poderão ser utilizadas mais vezes, e não sabemos por quanto tempo se fará necessária a prevenção”, explica a gerente.

Não jogar esses materiais no lixo reciclável é outra importante recomendação, já que as máscaras e luvas não têm outra utilização e pior, podem estar contaminadas, levando risco de contágio às pessoas que trabalham na coleta. Sendo assim, o ideal é que as pessoas descartem, sempre que possível, as máscaras e luvas, em sacos plásticos separados e bem amarrados.

Quem mora próximo a uma unidade de saúde pode levar esses sacos fechados até os pontos de entrega de resíduos hospitalares, que são postos de saúde e hospitais, e, quando não for possível, o correto é colocar no lixo comum, tendo cuidado para que estejam em embalagens bem fechadas.

Também não é recomendado o descarte sem embalagem nas lixeiras públicas das ruas, praças e dos prédios públicos, ou mesmo nas lixeiras de uso comum de prédios e ambientes particulares. “O correto é que ninguém mais tenha contato com a máscara ou as luvas que você usou, justamente para evitar a eventual propagação do coronavírus”, esclarece a engenheira sanitarista.

Como confeccionar uma máscara em casa?

Para garantir a efetividade, devem ser usados tecidos com boa capacidade de filtragem de partículas. O Ministério da Saúde recomenda: tecido de saco de aspirador; cotton (composto de poliéster 55% e algodão 45%; tecido 100% algodão (como tricoline); e fronhas de tecido antimicrobiano. Mas podem ser utilizados materiais encontrados no dia a dia, como camisetas ou outras roupas em bom estado de conservação, até tecido não tecido (TNT).

O importante é que a máscara seja feita com camadas duplas, nas medidas corretas, cobrindo totalmente a boca e nariz (cerca de 21 centímetros de altura e 34 cm largura) e que esteja bem ajustada ao rosto, sem deixar espaços nas laterais. Se for de TNT, a máscara deve ser descartada a cada uso.