Publicidade

Publicidade

Prefeitura de Corupá enfrenta dificuldades para comprar testes rápidos de Covid-19 e ventiladores mecânicos

Prefeitura de Corupá enfrenta dificuldades para comprar testes rápidos de Covid-19 e ventiladores mecânicos

Fornecedores não estão entregando os kits de exames. Procura é alta em todo o país

A alta demanda e procura por equipamentos e materiais que são usados em atendimentos e no combate ao Coronavírus têm colocado os Municípios literalmente em “modo de espera”. A Secretaria de Saúde de Corupá aguarda a entrega de testes rápidos de Covid-19, que ainda não foram enviados pelo fornecedor. Impasse também na aquisição de ventiladores mecânicos, que estão com preços muito acima do normal.

Ainda no mês passado, a Prefeitura de Corupá realizou uma compra conjunta pelo CisNordeste (Consórcio que abrange 17 municípios do Norte e Nordeste SC, incluindo Corupá), de 1 mil kits de teste rápido de Covid-19. Estes exames seriam usados principalmente em funcionários da Saúde e seus familiares. 

No entanto, segundo o secretário de Saúde de Corupá, Michael Pereira Marques, a primeira empresa não enviou os kits, a segunda fornecedora deveria ter enviado até o último dia 22 de abril, e também não realizou a entrega. 

“Agora uma terceira fornecedora tem o prazo para entregar os kits até o dia 5 de maio. O valor ainda é o mesmo que foi orçado desde o início: R$ 90 por kit. Mas também não temos a certeza de que isso vá de fato ocorrer. Há uma demanda muito grande pelos testes”, explicou o secretário.

Ainda pelo CisNordeste, a Prefeitura de Corupá realizou compra conjunta para equipamentos de proteção individual como toucas e máscaras PFF2. Já foram entregues aventais, luvas, máscaras cirúrgicas, álcool em gel e álcool 70%. A Prefeitura de Corupá deverá investir cerca de R$ 122 mil nestes materiais.

Ventiladores mecânicos

A Secretaria de Saúde de Corupá também tenta negociar a compra de dois ventiladores mecânicos para o Pronto-Atendimento 24 horas, para o tratamento de possíveis casos de Coronavírus. A cidade ainda não conta com nenhum caso de Covid-19, mas para o prefeito João Carlos Gottardi, é preciso se preparar.

“Montamos uma sala no PA 24h para atendermos estes casos. Compramos dois novos monitores multiparâmetros (cardíacos) e queremos contar com o apoio de pelo menos dois ventiladores mecânicos. Mas estamos com dificuldade nesta aquisição”, lamentou o prefeito.

“Houve um confisco destes equipamentos. As fornecedoras não podem vender diretamente aos Municípios, somente ao Governo Federal. As empresas revendedoras que conseguiram comprar os equipamentos antes desta decisão estão aumentando os preços. Elas não estão vendendo os aparelhos conforme variação do dólar, e sim, pelo valor de mercado”, complementou o secretário de Saúde.

Um ventilador que antes custava R$ 50 mil, por exemplo, agora custa R$ 100 mil, observou Michael. “Também encontramos dificuldades com o modelo de compra imposto por algumas fornecedoras. Elas querem que as prefeituras paguem antes de a entrega ser feita. O que não é permitido conforme legislação (Lei Nº 8.666, de 21 de junho de 1993). Aí acabam não fechando a compra com as secretarias de Saúde”, observou Michael.

A Prefeitura de Corupá segue em negociação para adquirir os dois ventiladores mecânicos. Há orçamento previsto. Segundo Michael, se espera chegar ao valor de R$ 70 mil por aparelho. O objetivo é garantir a internação de pelo menos duas pessoas no PA 24h pelo período de 12 horas – tempo necessário até a transferência do paciente para um hospital com Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). Atualmente, as unidades de referência aos moradores de Corupá são os hospitais de Jaraguá do Sul.