Publicidade

Publicidade

O “SUL” PARA OS PORTUGUESES, O “OESTE” PARA OS ESPANHÓIS E A “ESCRAVIDÃO” PARA OS CARIJÓS CATARINENSES!

Rotas portuguesas para as Índias.

Apesar de ter recebido algumas esporádicas e passageiras expedições portuguesas, o atual litoral catarinense foi visitado e habitado, até 1640, praticamente apenas por espanhóis ou por alguns portugueses a serviço da Espanha. Os portugueses estavam focados mais ao norte do Brasil, do atual Estado de São Paulo para cima.

Os lusitanos buscavam a terra das especiarias circundando as costas da África, enquanto os espanhóis buscavam o mesmo objetivo, navegando para oeste, inicialmente pelo Hemisfério Norte, como fez Cristóvão Colombo, e depois pelo Atlântico sul, fato que os levou a tocar o litoral catarinense. Vasco da Gama cumpriu a meta para os portugueses após Bartolomeu ter dobrado o Cabo da Boa Esperança no sul da África, chegando ao Oceano Índico. Posteriormente, Fernão de Magalhães completou a corrida para os espanhóis, depois de descobrir o Estreito de Magalhães, chegar ao Pacífico e atravessar este oceano, chegando finalmente às Índias.

Porém, nota-se que a grande habilidade dos espanhóis no trato com os indígenas e seu relativo respeito em relação aos carijós catarinenses, não era uma característica inerente aos portugueses, que mais tarde começaram a aprisionar e transportar os carijós para São Paulo, onde eram vendidos como escravos.

Os portugueses estavam frontalmente contrariando a Bula do Papa Paulo III, publicada em 1537, que declarava “verdadeiros homens e livres” todos os indígenas das Américas.

Estas investidas portuguesas, que começaram alguns anos antes de 1550, espantaram os carijós, resultando no esvaziamento do litoral catarinense, principalmente na região próxima aos portos de São Francisco do Sul, do Porto dos Patos, na região da atual Florianópolis e do Porto Mbiaza, atual Laguna. Aqueles carijós que escapavam da captura escravagista dos portugueses fugiam para o interior do continente, deixando o litoral deserto e inóspito para as expedições europeias que visitariam Santa Catarina nas próximas décadas.

Fonte:  Livro “1516: 500 anos da chegada dos espanhóis a Santa Catarina – Expedições espanholas pelo litoral catarinense entre 1500 e 1600”

Por: ROBERTO LOURENÇO

O engenheiro, escritor e historiador Roberto Lourenço, que mora em Jaraguá do Sul há mais de 30 anos, autor do livro “1516: 500 anos da chegada dos espanhóis a Santa Catarina”, estará estreiando uma nova coluna aqui no Jornal de Corupá.

Seu recente livro “1516”,  contemplado com o Prêmio Catarinense de Literatura, será uma das fontes utilizadas para a publicação  da coluna semanal intitulada “O Pulsar da História”

Muitos fatos acontecidos em nossa região e em nosso estado, ainda  pouco divulgados, serão lembrados e revividos nesta coluna.  As remotas visitas de aventureiros europeus à estas paragens, a passagem do português Aleixo Garcia e do governador espanhol Cabeça de Vaca, pela cidade de Corupá, quando se dirigiam a pé ou a cavalo ao Paraguai, pelo caminho do Peabiru, ainda nas primeiras décadas de 1500, são exemplos de assuntos que serão explanados nesta coluna.