Publicidade

Publicidade

SEM OBSESSÃO POR BATER QUALQUER RECORDE SUPER BANANALAMA É SUCESSO

SEM OBSESSÃO POR BATER QUALQUER RECORDE SUPER BANANALAMA É SUCESSO

Como acontece em todos os anos, quem veio gostou e prometeu voltar

Superando a estimativa inicial de participantes, com as mais de três mil motos inscritas, além dos quadriciclos e UTV’s , o Super Bananalama foi mais um evento promovido pelo Clube de Trilheiros Bananalama que deixou saudades.

Sem a obrigação ou intenção de bater o recorde, que já lhe pertence e que dificilmente será batido, o evento deste ano foi impecável em diversos quesitos, arrancando elogios dos participantes.

A Organização, atenta aos mínimos detalhes, ofereceu um evento que agradou ao público, estimado em mais de cinquenta mil pessoas, que esteve no Seminário Sagrado Coração de Jesus entre os dias cinco e oito de agosto. Nestes quatro dias teve shows gratuitos na quinta, sexta e domingo, com ótimas atrações, além do show nacional que aconteceu no sábado e foi prestigiado por um bom público que lotou a arena.

Além dos shows o Clube ofereceu uma feira e exposição de diversos artigos voltados aos apaixonados por motos, um espaço gastronômico diversificado, e estande mostrando e comercializando um pouco do que a nossa Corupá tem de melhor. Outro ponto forte foi a apresentação dos pilotos top da Pro Tork, da Honda com suas apresentações radicais, e os passeios de helicóptero que aconteceram no sábado e no domingo de céu azul e muito sol.

Outro quesito que chamou a atenção foi o de segurança que nesta edição contou com a participação e presença em todos os dias do evento da Polícia Militar, Polícia Civil, Bombeiros Voluntários, Conselho Tutelar e equipe privada de segurança e brigadistas, além do plantão dos helicópteros Água e Arcanjo, da PM e Bombeiros, respectivamente.

Acreditamos que na próxima edição já tenhamos os números oficiais deste Super evento que nem bem acabou, já provocou um sentimento de vazio e de saudade.

A ponte da discórdia

A ponte montada aos fundos do Seminário no ano passado, para permitir o escoamento dos veículos e do público, neste ano foi impedida de ser construída e por alguns instantes assustou a Organização que seria forçada a promover a entrada e saída de veículos apenas pela rua Padre Gabriel Lux, causando um grande transtorno aos visitantes. Na semana em que aconteceu a abertura do evento uma solução surgiu, sendo providenciada uma saída alternativa que, apesar de preparada em pouco tempo, solucionou o que inicialmente parecia um problema que comprometeria toda a organização.

Operação rescaldo

Em meio à correria para a edição deste ano do Bananalama, o Clube foi surpreendido com a abertura de inquérito pelo Ministério Público, tendo como foco o repasse de verbas públicas e de serviços para o evento do ano passado, e outro sobre a cessão de direito de uso da escola desativada da Vila São Jorge, transformada na sede social do Clube de Trilheiros.

Apesar de promovidos pela diretoria anterior do Clube, sem que os sócios tenham sido questionados ou ouvidos e, inclusive, com alguns expressando publicamente sua contrariedade com ambas, a diretoria atual tem a missão quase impossível de salvaguardar a imagem internacional que sua instituição conquistou, e para isto algumas medidas já foram anunciadas. Dentre estas medidas não está descartada a devolução voluntária da sede, e a sugestão, que será levada em assembleia, propondo o desligamento de alguns sócios.

Entendendo os problemas

O inquérito que apura possíveis irregularidades na cessão de direito de uso da escola desativada da Vila São Jorge, aponta como uma das irregularidades o fato do termo ter sido assinado pelo prefeito de Corupá, que ocupava o cargo em dezembro de dois mil e dezesseis, e que também era o vice-presidente do Clube. Para este inquérito foram intimados o prefeito e o presidente do Clube, à época, e a diretoria atual do Clube. Além destas intimações, o promotor de justiça Ricardo Viviani de Souza, titular da 6ª Promotoria de Justiça da Comarca de Jaraguá do Sul, também recomendou ao atual prefeito que anule o ato e reintegre a posse da escola.

O outro inquérito apura prováveis irregularidades no repasse de recursos públicos no valor de duzentos e oitenta mil reais, além da prestação de serviços pela secretaria de infraestrutura para o evento, ambos promovido pela prefeitura no ano passado. Segundo o promotor, chamou a atenção o fato de ter sido dado entrada na Câmara, no dia três de julho, o projeto de lei autorizando ambas as ações, para o evento que começaria no dia seis, três dias após. O promotor explicou que o projeto de lei foi analisado e votado no mesmo dia em que foi registrado e há a suspeita de que um contrato firmado em abril, tenha sido honrado com recursos aprovados neste projeto de lei. Para este inquérito foram intimados o prefeito e o presidente do Clube, à época, e a diretoria atual do Clube. Além destas intimações, o promotor de justiça Ricardo Viviani de Souza, titular da 6ª Promotoria de Justiça da Comarca de Jaraguá do Sul, também recomendou ao atual prefeito que não efetuasse qualquer repasse ou prestasse qualquer serviço para o evento deste ano.

Como ambos os casos ainda estão sendo apurados e as partes sendo ouvidas, é cedo para se antecipar qualquer conclusão, mas, não será surpresa se a sede for restituída ao município e o dinheiro devolvido aos cofres públicos, além de outras sanções.

É inegável a importância do Clube e do evento Bananalama para Corupá, nossa região, nosso estado e até nosso país, mesmo que existam alguns poucos que não o vejam com bons olhos. Tendo adotado esta cidade para morar e amar, espero que estes problemas sejam superados e sirvam para que se promova o saneamento do Clube permitindo que ele siga escrevendo sua história que nos enche de orgulho.