Publicidade

Publicidade

CORUPÁ – PREVISÕES E EXPECTATIVAS 2019

CORUPÁ – PREVISÕES E EXPECTATIVAS 2019

18/01/2019

O Jornal de Corupá lançou na primeira edição deste ano uma série de reportagens com as previsões e as expectativas para 2019. As previsões representam as promessas dos poderes executivo e legislativo de Corupá, e algumas previsões das esferas estadual e federal que nos atinjam. As expectativas, como não poderia ser diferente, serão captadas principalmente pela população.

Na primeira reportagem conversamos com o presidente eleito para o biênio 2019/2020 da Câmara de Vereadores de Corupá, vereador Lairton Hartmann Müller, e nesta edição trazemos a expectativa do corupaense, deixando para fechar o conjunto de matérias com o prefeito municipal Sr. João Carlos Gottardi.

O QUE ESPERA A POPULAÇÃO   

Em janeiro de constantes quedas de energia e aumento no valor da tarifa da mesma energia que tem deixado o corupaense na mão, as críticas à Celesc comandaram as reclamações e lideraram as expectativas da população.

A grande maioria mostrava as contas de energia e ninguém conseguia explicar, o Sr. Anderson do Bomplandt chegou a questionar se a exemplo da água que “quando volta depois da falta acaba tarifando ar, se a luz não acontece algo parecido”. Segundo o Sr. Anderson esta seria a única explicação que ele encontra para ter acontecido este aumento de consumo num período em que ele e a família estavam viajando para o interior do Paraná e apenas a geladeira e o freezer permaneceram ligados.

Em segundo lugar veio a expectativa quanto a redução do pó e dos buracos nas estradas rurais. Esta seria uma expectativa pontual, se não fossemos uma cidade onde a área rural predomina, e mesmo sabendo que uma boa parcela dos moradores da área urbana sofre com o problema, enquanto aguarda que o asfalto chegue.

Outro ponto que foi mencionado foi a área da saúde, mas positivamente. A Sra. Renilda fez questão de mencionar o mutirão de cirurgia de catarata “depois da cirurgia o meu velho consegue até ler estórias para os netos, tá numa alegria só”. Reclamações sobre o agendamento de consultas, sobre a demora no atendimento por especialistas, e até o aparente caos que pode ser encontrado no Pronto Atendimento em alguns dias e horários, ficaram para segundo plano.

Uma situação que mostra um trabalho que deverá ser feito é a falta de expectativa quanto a atuação dos poderes estadual e federal, para boa parte da população estes poderes raramente são entendidos como fazendo parte de seu dia-a-dia. A situação mais crítica é quanto a atuação do estado que a maioria não sabe para o que serve. Outra prova de que é necessário fazer algo para orientar a população é quanto a expectativa ouvida sobre ações aguardadas do “presidente Bolsonaro”. Uma boa parcela das pessoas ouvidas aguarda um intenso combate à corrupção, não entendendo que este combate começa por nós, deixando de praticar “inocentes transgressões” que, respeitadas as devidas proporções, têm o mesmo impacto das malas de dinheiro constantemente encontradas “por aí”.

De uma forma geral, as expectativas foram prejudicadas em período onde as despesas atingem patamares altos com o pagamento de IPTU, IPVA, material escolar, etc etc, coincidindo com o pagamento das “loucuras de final de ano” que, sendo somadas ao mês de salário reduzido por conta das férias que antecipou parte do pagamento salarial, povoam o pensamento da população, deixando para segundo plano os problemas que enfrentará no restante do ano.

Na próxima semana as previsões do executivo.