Publicidade

Publicidade

Sinal Vermelho para a Violência

Sinal Vermelho para a Violência

Por meio de articulação da Secretaria Nacional de Políticas para as Mulheres (SNPM), o Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH) aderiu à campanha Sinal Vermelho Contra a Violência Doméstica.

Lançada no início de junho, a iniciativa foi criada em parceria com o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e a Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB).

A ação é voltada para as redes de farmácias de todo o país e tem o objetivo de combater a violência doméstica e familiar contra a mulher por meio da denúncia.

A ideia é incentivar a vítima a desenhar um “X” na mão e exibi-lo ao atendente ou farmacêutico.

As drogarias que aderirem a campanha terão acesso a cartilha e tutorial para capacitação dos funcionários, que estarão aptos para acolher a vítima e se tornar um meio para o registro da denúncia.

“A mulher que sofre violência tem medo e dificuldade de denunciar e nós queremos mudar isso, rompendo com esse ciclo. Preparar pessoas para o acolhimento, em locais que ela tem acesso mais facilmente, pode fazer toda a diferença nos casos de subnotificação”, afirmou a ministra Damares Alves.

Cerca de 10 mil farmácias, filiadas a duas associações do setor, já fazem parte da iniciativa.

Em Santa Catarina

A campanha “Sinal Vermelho Contra a Violência Doméstica conta com o apoio do Conselho Nacional de Comandantes-gerais das Polícias Militares e Corpos de Bombeiros Militares (CNCG). Dessa forma, a Polícia Militar de Santa Catarina participará da campanha desta campanha.

Farmácias de Çorupá também aderiram

Segundo a Dra. Roberta França, delegada titular da DPCAMI- Delegacia de Proteção à Criança, ao Adolescente, à Mulher e ao Idoso, instalada em Jaraguá do Sul, a campanha vem contando com a adesão em peso das farmácias da região, cientes da gravidade do problema. Dra. Roberta informa que cinco farmácias de Corupá já aderiram à campanha, e estão sendo habilitadas à prestação deste atendimento. “Agora a mulher pode denunciar a partir de qualquer telefone ligando para o 180, ou procurando uma farmácia, com um “x” desenhado na palma da mão.”, esclareceu a delegada.

Feminicídio cresce no Brasil

No Brasil, de modo geral, nos meses de março e abril, o índice de feminicídios cresceu 22,2%, de acordo com apontamentos do Fórum Brasileiro de Segurança Pública. Santa Catarina segue um caminho oposto, ou seja, houve redução de 8,55% nos casos de violência doméstica e 43,25% nas ocorrências de feminicídio.

Acesse a página da campanha no Facebook: Campanha Sinal Vermelho