Publicidade

Assinado contrato com empresa que fará o Plano Diretor de Drenagem de Jaraguá do Sul

Assinado contrato com empresa que fará o Plano Diretor de Drenagem de Jaraguá do Sul

Foi assinado na tarde desta quarta-feira (17), o contrato com a empresa que fará o levantamento do sistema de drenagem pluvial de Jaraguá do Sul. Esse trabalho é fundamental para a elaboração do Plano Diretor de Drenagem e Manejo das Águas Pluviais Urbanas do Município de Jaraguá do Sul (PDDUJS). A empresa vencedora da licitação foi a Evolua Ambiental Engenharia e Arquitetura Ltda, de Itajaí. O valor do contrato é de R$ 425.032,65. A Ordem de Serviço (O.S) foi assinada pelo prefeito de Jaraguá do Sul, Antídio Lunelli, o diretor presidente do Samae, Ademir Izidoro e a engenheira da empresa Evolua, Nayla Libos.

Para avançar no segmento da drenagem urbana, faz-se necessárias ações de planejamento, assim como aquelas já definidas para os outros segmentos do saneamento básico, e para tanto, um ponto de partida compreende a elaboração do PDDUJS.

O prefeito Antídio Lunelli destacou a importância desse trabalho que será feito. “Estamos nos antecipando e o objetivo é ter o nosso município cada vez melhor”, disse.

O Samae (Serviço Autônomo Municipal de Água e Esgoto), autarquia responsável pelos serviços de abastecimento de água, esgotamento sanitário e gestão de resíduos sólidos, assumiu em março de 2020, os serviços de drenagem urbana e manejo de águas pluviais. A empresa se configura hoje como prestadora dos serviços integrados de saneamento básico, atendendo aos quatro eixos que compõem os serviços, conforme preconizados na Lei 11.445/2007.

O diretor presidente do Samae, Ademir Izidoro, ressaltou que essa etapa é mais um passo no planejamento da drenagem urbana. “Estamos nos organizando na prestação desse serviço ”, afirmou

A Contratada deverá apresentar, no âmbito dos serviços contratados, um programa de medidas de controles estruturais e não–estruturais com os seguintes objetivos básicos:

– Reduzir os prejuízos decorrentes das inundações;

– Melhorar as condições de saúde da população e do meio ambiente urbano, dentro de princípios econômicos, sociais e ambientais;

– Planejar os mecanismos de gestão urbana para o manejo sustentável das águas pluviais e da rede hidrográfica do município;

– Planejar a distribuição da água pluvial no tempo e no espaço, com base na tendência de evolução da ocupação urbana;

– Ordenar a ocupação de áreas de risco de inundação através de regulamentação;

– Restituir parcialmente o ciclo hidrológico natural, reduzindo ou mitigando os impactos da urbanização;

– Formatar um programa de investimentos de curto, médio e longo prazo que, associado aos benefícios produzidos por esses investimentos, viabilize a obtenção de recursos para implantação das medidas propostas no plano.

De acordo com a engenheira sanitarista e ambiental, Nayla Libos, em última análise, o que se espera é resolver problemas que o município ainda enfrenta. “Como enchentes e alagamentos”, assinalou.

De acordo com o contrato a empresa terá 180 dias para executar o trabalho.

Fonte: Assessoria de Imprensa – SAMAE